terça-feira, 18 de agosto de 2009

Mau hálito ou Bafo de onça, veja como evitar

hj,m A principal causa

Em cerca de 90% dos casos, o motivo está na boca e é provocado por uma placa bacteriana que se forma no fundo da língua, a chamada saburra lingual. "A língua tem pequenos sulcos, como se fossem bolinhas. Aí se alojam bactérias que se alimentam das células que descamam da mucosa oral", explica Duarte da Conceição, que também dirige a clínica Halitus, em Campinas e São Paulo. Essa placa de bactérias fermenta e libera um odor de enxofre, o próprio mau hálito. Segundo ele, a boca descama porque está ressecada e, aqui, pode haver várias causas: muitas vezes, a pessoa tem o hábito de respirar pela boca, de mordiscar os lábios e a parte interna das bochechas ou, simplesmente, saliva pouco. "A saliva tem a função de promover a limpeza da boca: quanto mais a pessoa saliva, melhor será o seu hálito", explica Duarte da Conceição. Estresse, o uso de determinados produtos, medicamentos e a falta de hidratação adequada contribuem para diminuir a produção de saliva.

Os especialistas apontam os hábitos e produtos que devem ser evitados: cremes dentais com sulfato de sódio: essa substância detergente é usada para fazer espuma, mas tem um efeito secante na boca; mesmo os cremes que não a contêm pedem economia -a dose ideal de pasta na escova tem o tamanho de uma ervilha;

-enxaguatórios, sprays e anti-sépticos bucais com álcool: a maior parte desses produtos piora o ressecamento e, conseqüentemente, o hálito;

-pastilhas e balas açucaradas: as pastilhas costumam mascarar o hálito e tudo o que contém açúcar acentua o problema. Mas os chicletes sem açúcar podem ajudar porque o ato de mascar estimula a salivação;

-jejum prolongado: passar horas sem comer provoca alterações fisiológicas que propiciam a halitose;

-café e cigarro: cheiros fortes ficam mais presentes em quem tem placa bacteriana na língua;

-medicamentos: existem mais de 400 remédios que comprovadamente diminuem a produção de saliva; os que provocam mais alteração são os ansiolíticos, os antidepressivos e os antialérgicos;

-bebidas alcoólicas: o álcool resseca a boca e aumenta a descamação das células da mucosa oral.

...e o que ajuda

Para a pesquisadora Sonia Hirsch, autora de "O Mínimo Para Você se Sentir o Máximo - Pequeno Guia dos Alimentos" (Ed. Corre Cotia, 204 págs., R$ 32), a dieta pode interferir no hálito. De modo geral, quem tem tendência ao problema deve:

1) Beber 8 copos de água por dia: o líquido favorece a produção de saliva e hidrata as mucosas, contribuindo para manter o bom hálito. "Melhor se dois desses copos forem ingeridos em jejum, para lavar o estômago e despertar os intestinos";

2) Preferir chá verde no lugar do café;

3) Além de bebidas alcoólicas, evitar refrigerantes e bebidas açucaradas ou que contenham aditivos químicos; também é melhor não tomar refrescos naturais ácidos, como os sucos de laranja e maracujá;

4) Evitar alimentos que exalam odores fortes. "Carnes e comidas gordurosas tendem a produzir resíduos que afetam o hálito."

Sonia dá, ainda, receitas simples que ajudam a refrescar: comer aipo ou cenoura crua e raspadinha;

- mastigar salsinha fresca ou folhas de hortelã;

-beber água temperada com fatias de limão;

-comer frutas em geral. "Frutas são desintoxicantes e faxineiras; as ricas em fibra, como a maçã, têm uma ação de limpeza na própria língua. Mas todas as frutas devem ser consumidas apenas no intervalo entre as refeições -duas horas antes e duas ou três horas depois- para não interferir na digestão."

Teste Rápido

É muito difícil perceber o próprio hálito. Isso acontece por causa de um fenônemo chamado fadiga olfativa. "As células do olfato se impregnam rapidamente com um determinado odor e se adaptam a ele; só assim conseguem perceber outros cheiros", explica o dentista Maurício Duarte da Conceição. Segundo ele, o exemplo clássico é não sentir o próprio perfume, mesmo quando se exagera na dose. "Só as outras pessoas sentem", explica. Ainda assim, dá para tentar descobrir se o hálito anda ruim, como ensina o inglês Nick Fisher, autor de "Beijos - Coisas Que Todo Mundo Quer Saber" (Ed. Melhoramentos, 138 págs., R$ 19).

Veja o que acontece depois de :

- soprar dentro das mãos em concha;
- respirar pela boca bem perto de um espelho;
- lamber o dorso da própria mão.

0 comentários:

Postar um comentário

Pufolandia João Pessoa